sábado, 24 de maio de 2014

Analisando Quadro: A Caçada na Corte de Filipe o bom (século XV) - Os Vestidos Disfarçados

Hoje vamos analisar as roupas do quadro "A Caçada na Corte de Filipe o bom" de cerca de 1442.

Observem a pintura, por que todos estão de branco?

A resposta é extremamente simples: porque a cor branca foi um tema imposto para a festa!
Mas não se trata só disso.
Essa obra nos mostra os chamados "Vestidos Disfarçados" ou robes deguisées.

Os robes deguisées eram trajes que destoavam do padrão de moda vigente (por isso "disfarçados"). No quadro, as roupas são anteriores às roupas usadas na década de 1442 [veja como era a moda deste século aqui]. Se repararem, as roupas recebem referências que variam de de pouco mais 20 à 100 anos antes [aqui]. Os homens usam batas curtas com pregas abauladas. Há mantos inspirados na moda italiana. Vários deles usam chopines.

No centro, a duquesa tem um manto acolchoado de arminho. Como outras moças, seu penteado tem enchimentos postiços trabalhados, coberto com uma coifa de rede e miçangas. Várias outras mulheres usam capelo sobre redes. No centro, uma moça usa o capelo clássico fechado com um alfinete logo abaixo do queixo.



Repare numa mulher, no segundo plano, à esquerda. Ela usa luvas vermelhas e gola alta, ambas algo bem raro na época. Outras mulheres também usam um cinto alto, trabalhado.

Aproveito a deixa pra que seja observada outra coisa: repararam que apenas uma mulher à esquerda do quadro, na frente, levanta a cauda do vestido?

As mulheres da classe alta medieval e renascentista usavam vestidos com longas caudas, era uma forma de mostrar riqueza em tecidos ou enfeites suntuosos, o que servia pra as diferenciar das classes inferiores. Pois bem, estas mulheres eram ensinadas a andar desde muito novinhas com saias excessivamente longas e eram capazes de levar coisas, subir escadas e fazer as atividades diárias sem nunca levantar suas saias.
Já as mulheres de classe baixa, normalmente trabalhavam, e longas caudas atrapalhariam suas atividades, por isso as saias das classes mais baixas eram mais curtas e não tinham caudas. 
O fato da moça em questão estar levantando a cauda do vestido, é algo muito incomum (já que não há uma saia de baixo adornada pra ser mostrada) e pode ser uma alusão ao pregnancy look.
Não é interessante encontrar uma festa medieval cujo tema revivia de forma misturada moda de entre 20 e 100 anos antes?

Fonte: livro História do Vestuário no Ocidente.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

A Rainha Victoria e o vestido branco de noiva

Carregamos ainda hoje, no século XXI, muitas heranças sociais e culturais da Era Vitoriana (século XIX), uma delas é o vestido branco de noiva. Sem fugir dos posts clichés habituais do mês de maio sobre noivas e casamentos, apresento uma história muito breve sobre o tema em questão.

A Relação entra a Rainha Victoria e os vestidos de noiva brancos

O vestido de noiva nem sempre foi branco. Embora tenha-se usado branco durante diversas épocas da história, a cor não era uma regra, era uma opção e em alguns casos, diferenciação social, já que a cor mostrava a sujeira, se tornando assim, um símbolo de statusO vestido de casamento já  foi verde, vermelho e já foi apenas um vestido novo, que seria usado normalmente depois da cerimônia.
A cor branca em nossa cultura ocidental carrega um sinônimo de pureza e tranquilidade. 

Hoje, temos o pensamento de que noivas "devem usar branco", mas muitos não sabem dizer o porquê. Não sabem dizer de onde vem esse costume. Esse hábito é muito mais por herança cultural do passado, do que por qualquer um outro motivo. Se fôssemos seguir as regras certinhas, usar branco por "pureza ou virgindade" na sociedade atual, faria  boa parte da população se casar de outras cores. E dizer que é a religião ou a igreja que sempre exigiu o branco também não está históricamente correto, já que na Espanha do século XVI o vestido de noiva deveria ser preto por obediência à Igreja.

Em 1840, a rainha Victoria se casou por amor com o Príncipe Albert com um vestido branco. Na época, Victoria escolheu o branco porque era uma cor não usada pra casamentos - era uma cor incomum, ela quis fugir do padrão. O motivo da escolha também foi uma questão política: devido ao desenvolvimento industrial, as rendas agora eram bordadas em máquinas, os artesãos estavam ficando sem emprego, assim, a rainha colocou um exército de artesãs trabalhando pra ela por meses.


Além da cor do vestido, outra moda que Victoria lançou foi o uso do véu e do buquê de flores brancas miúdas. As mulheres a imitaram. Victoria reinou durante todo o século XIX, numa época considerada super conservadora.

Esse foi o vestido branco usado por ela em seu casamento em 1840:


Reparem que o vestido da rainha, no estilo da moda da época, é meio que até hoje a referência dos vestidos de noiva, quando dizem "quero me casar com vestido de princesa": corpete, saia armada, véu e rendas.

Então se hoje se diz que as noivas "devem usar branco" não é exatamente porque elas "devem", é muito mais porque ainda carregamos heranças culturais do passado que ainda não foram rompidas ou substituídas. A personalidade da Rainha Victoria era tão forte que nos influencia ainda hoje.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOTA AOS LEITORES


Olá, tudo bem?
Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos estão, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html

Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, num período que eu não anotei as fontes, por isso eles não as tem. Portanto, quem me escreve cobrando as fontes destes artigos, espero que compreendam que não posso colocar uma fonte que não lembro ao certo/exatamente qual foi, indicando algo errado. MAS os livros que uso estão no já citado link - pra quem quiser ir atrás deles. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e nada melhor que ler livros pra adquiri-las.


A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande e que viraria referência no Brasil.
Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Sana ♥