domingo, 23 de junho de 2013

Fashion Plates brasileiras da década de 1910

A professora de Moda Jackie Alcântara me autorizou a publicar estas lâminas (fashion plates) que circularam no Brasil na década de 1910! 
As fashion plates foram escaneadas por uma aluna de Jackie cuja família tinha as ilustrações guardadas em casa. Os desenhos foram publicadas no Jornal Illustado de 1911 que eram vendidos em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Achei muito legal ter estas referências da moda que se usava no Brasil durante a Belle Époque, muito leio sobre a beleza das mulheres desta época nas ruas do Rio de Janeiro, e ver estas fashion plates são de encher os olhos de pesquisadores de moda!!
Por favor, se forem reproduzir as imagens, citem o blog da Jackie como fonte, pois foi ela quem foi quem primeiro publicou este material. ;)



quinta-feira, 20 de junho de 2013

Edward Linley Sambourne: Fotos do litoral na Era Eduardiana


Como era ir à praia na Era Eduardiana? Que roupas eram usadas? As praias ficavam lotadas?
Foi na Era Eduardiana que os esportes e atividades ao ar livre entraram em voga. As pessoas acreditavam nos benefícios de saúde da água e do ar revigorante do mar. Os banhos de mar em geral ocorriam no início da manhã. Nesta época, trajes de banho foram inventados e natação se tornou uma recreação popular. 

Edward Linley Sambourne nos mostra um pouco disso quando em 1906 uma onda de calor invadiu todo o território das ilhas britânicas no final de agosto e primeiros dias de setembro e ele decidiu fotografar! 

O vento soprando do mar deveria estar refrescante, embora ele seja um desafio para as  mulheres que seguram firmemente seus chapéus.


Apesar do calor muitos vestem roupas formais, com poucos concessões ao clima.


Na praia, Sambourne pegou mulheres de surpresa: Será que ele acordou a mulher de sua soneca enquanto sua amiga dorme?  E abaixo, duas moças flagradas em momento de descuido.

 

Em julho, Sambourne captou a atmosfera movimentada de uma praia lotada.
 

Aqui uma foto tirada em um barco: uma mulher tendo dificuldades com a brisa do mar.


No mesmo dia, na praia de Ostende, uma jovem anda descalça subindo a ladeira asfaltada da praia.



Provavelmente ele estava com a câmera escondida quando flagrou a imagem abaixo, a moça sai da água usando um traje de banho e entra numa máquina de banho.


 

Outro grupo de mulheres fazendo uso da máquina de banho que era uma espécie de sala portátil que era carregada para a beira d'água por cavalos. As pessoas que queriam usá-la pagavam uma taxa e colocavam seu nome em uma lousa para indicar seu lugar na fila. Enquanto esperavam podiam tomar chá, ler jornais, revistas e ou ter uma pequena conversa com outros clientes. Elas eram normalmente usadas por mulheres que queriam trocar seus longos vestidos e saias pelos trajes de banho.



No final da tarde, uma jovem elegante sai para um passeio.  


Todas as fotos aqui postadas pertencem ao Leighton House Museum. Se você quer reproduzir qualquer uma delas deve pedir autorização à eles, como eu fiz por email. O texto, parte traduzido, parte minha escrita, foi autorizado por email pelo autor do post original, em inglês, David Walker do The Library Time Machine que adorou saber que tem brasileiros interessados no assunto.

Edward Linley Sambourne: Fotografias de Rua na França e Holanda

Este é o segundo post sobre Edward Linley Sambourne, o primeiro vocês podem ver [aqui].
Desta vez, nosso fotógrafo de rua da Era Eduardiana tirou fotos em Paris e Amsterdã. Em 1906, Sambourne tinha 62 anos, mas estava cheio de energia. 

França: 
Em junho ele foi pra cidade que era o centro da moda européia: Paris.
Abaixo um casal próspero desce de uma carruagem. E duas mulheres elegantes atravessam a avenida com as saias levantadas para evitar a superfície empoeirada da rua.



Duas mulheres subindo escadas. Ele poderia estar procurando a visão dos tornozelos, que era supostamente uma obsessão para os homens Eduardianos.

Na foto ao lado, reparem que as mulheres de Paris são mais formalmente vestidas do que as mulheres fotografadas em Londres.



Uma jovem exibe confiança ao subir os degraus. Ela tem a mesma atitude moderna, casual e natural que vimos em Londres. 



Em 03 de junho de 1906 na Champs-Elysées, três mulheres caminham rapidamente. Linda foto!


Esta é uma moça que ele conhecia, Madame Helen DuBois no Tuilleries Gardens.


 
Este dia, 04 de junho de 1906, deve ter sido uma segunda-feira porque algumas classes ociosas foram dar um passeio à tarde, todos vestidos formalmente. Mesmo as crianças estão vestidas de formalmente, desfilando elegantemente.


 


Um jovem rapaz, vestindo algo mais casual, olha para duas mulheres vestidas de forma extravagante no lado esquerdo, atrás de sua família:



Mãe e filha de luto por algum membro da família?



Devia ser um dia quente. A mulher abaixo está usando a sombrinha. Seu companheiro parece estar um pouco entediado...


Holanda: 
As fotos abaixo são de Edward Linley Sambourne na Holanda em 1906.
Em Haia, uma mulher espera ao lado de fora de um grande edifício. É uma bolsa ou um regalo que ela tem na mão?


Em uma rua tranqüila um grupo de mulheres conversa.


Fotos de mulheres da classe trabalhadora andando à beira-mar.


Uma mulher atravessando uma das ruas dos canais e ao lado, trabalhadoras lhe dão um olhar curioso.


Um grupo de mulheres cuidadosamente atravessando a rua. Na foto ao lado seu interesse é provavelmente a empregada com o uniforme.



Estas fotos foram tiradas em Amesterdam. Embora ele foque nas mulheres, há a visão interessante das atividades das ruas ao fundo.


Um rio ou vista lateral de um canal num subúrbio de Amsterdam. A mulher ao lado foi fotografada tendo dificuldade com o vento...



Em Zeeland, ele fotografou uma mulher com um traje tradicional holandês e um menininho em trajes de marinheiro, muito comum nas crianças da época.



Mais mulheres em trajes tradicionais e adolescentes que parecem nem dar bola ao fotógrafo!



No próximo post tem mais fotos de Sambourne!
Todas as fotos aqui postadas pertencem ao Leighton House Museum. Se você quer reproduzir qualquer uma delas deve pedir autorização à eles, como eu fiz por email. O texto, parte traduzido, parte minha escrita, foi autorizado por email pelo autor do post original, em inglês, David Walker do The Library Time Machine que adorou saber que tem brasileiros interessados no assunto.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Exposição de Espartilhos em Balneário Camburiú (SC)

A Modateca da Univali em Balneário Camboriú (SC), está com uma exposição de espartilhos da virada do século até o dia 12 de julho, aberta nas segundas, terças, quintas e sextas-feiras, das 9h às 13h e das 14 às 18h.

A expo se chama "Espartilhos: Artifícios da Beleza” e exibirá uma rara coleção de espartilhos de fabricação alemã, datados do final do século XIX e início do século XX. Os espartilhos pertenciam a Albertine Burow Von Buettner (da Buettner S/A) e foram cedidos por sua neta, a senhora Helga Erbe Kamp, especialmente para a mostra. 
Helga guardou os espartilhos de sua avó em casa como uma lembrança e, em 2010, procurou o professor de História da Moda, Renato Riffel, para fazer a doação de algumas peças para a Universidade. Além dos espartilhos, a doação também continha seis pares de luvas, oito chapéus e mais alguns acessórios de cabeça, como flores, penas, entre outros, que não fazem parte desta mostra. A região do Vale do Itajaí em SC é conhecida como polo da indústria têxtil.
A exposição busca promover a reflexão, a discussão e a pesquisa acerca de assuntos específicos relacionados à moda. Além disso, oferece aos acadêmicos e à comunidade em geral a oportunidade de conhecer artefatos históricos do vestuário.

Bom, eu irei para Santa Catarina este mês e vou tentar ir à Blumenau pra ver esta exposição que muito me interessa, afinal ver espartilhos originais da virada do século não é todo dia né? Se eu conseguir ir, faço um post no blog sobre. 


* Fontes consultadas: Site da Univali, Diário Catarinense (caderno Donna) e Sol Diário.

sábado, 15 de junho de 2013

Edward Linley Sambourne - O "Sartorialista" da Era Eduardiana

Em 2005, um ex-vendedor de moda pegou sua máquina fotografica e começou a fotografar pessoas que se vestiam de formas que lhe chamavam a atenção nas rua de Nova York. Ele as publicou num blog chamado The Sartorialist. "Sartorialist" é uma pessoa que se interessa pela alfaiataria das roupas. Esse foi o começo dos blogs atuais de fotografia de estilos de rua, onde pessoas fazem questão de posar para as lentes.

Mas antes da era atual dos blogs de street style, Edward Linley Sambourne, um cartunista e ilustrador inglês da Era Eduardiana, amava fotografia e as usava como base para seus desenhos. Edward um dia decidiu fotografar mulheres que andavam nas ruas da Inglaterra e de outros países que visitou. A diferença da fotografia de rua de Sambourne e das fotos tiradas por blogueiros atuais de street style, é que na maioria das vezes as passoas não tinham idéia de que estavam sendo fotografadas. Sambourne usava muitas vezes uma câmera escondida. 
É preciso levar em conta que as atitudes das pessoas em relação à fotografia eram diferentes nos primeiros anos do século XX e as leis sobre direito à privacidade não haviam sido completamente elaboradas. Hoje em dia, sair fotografando pessoas pela rua com uma câmera escondida e depois publicando na web, pode não ser uma boa idéia...

Do ponto de vista da História da Moda estas imagens são interessantes porque mostram como as mulheres se vestiam em em determinados países no início de 1900. As fotos deste post são de registros feitos entre 1905 e 1908. E são um registro histórico que mostra que o que as mulheres usavam nas ruas se afasta um pouco do que imaginamos da moda Eduardiana. A Era Eduardiana é vista como a última era da roupa formal pra homens e mulheres e as fotos abaixo mostram o oposto disso. As mulheres fotografadas por Sambourne tinham uma atitude super casual. Então, a partir da publicação e pesquisa destas fotografias, passou-se a acreditar que houve um movimento por uma roupa feminina menos formal no começo do século XX.

As duas fotos abaixo foram tiradas no estúdio de sua casa. As fotos azuis são cyanotypes, uma impressão amadora barata. A segunda imagem é da filha dele, Maud, fazendo uma pose que depois foi usada num cartoon do pai.



Nos fins de semana ele fotografava nas ruas de Kensington. Abaixo, fotos tiradas em Cromwell Road em junho e julho de 1906.


O que ele captou nas fotos é de muito interesse aos historiadores de moda. Todas as jovens usam um visual muito casual que é bem diferente da imagem formal da Era Eduardiana que vemos em muitos livros e filmes. 


Uma ciclista com um chapéu enorme e uma mulher que Sambourne descreve como uma “shop girl”, está absorta em um livro.


A mulher abaixo parece curiosa e outra lê enquanto caminha e Sambourne também a fotografa de costas, seguindo seu caminho.


A revolução no vestuário feminino, se tornando menos formal e rígido, ficou evidente em fins de 1890 quando esportes começaram a se popularizar e as mulheres entravam aos poucos no mercado de trabalho. As fotos de Sambourne são um exemplo dessa revolução espontânea no vestuário.

Em 20 de julho de 1906, em Notting Hill Gate, deveria estar friozinho... uma mulher usa luvas e outra um regalo. Elas tem pressa, caminham juntas alheias ao fotógrafo. 
Em maio do mesmo ano, na cidade de Kensington, uma mulher mais formalmente vestida pode estar a caminho do trabalho.
 

Uma jovem empregada envolvida na tarefa de limpar o piso. Na segunda foto, outra empregada  talvez estivesse respondendo à um pedido de Sambourne para manter a pose por um momento. Sendo um homem de classe média alta, é provável que ele exercesse sua arte achando que superava qualquer violação da privacidade.


Aqui uma empregada doméstica faz uma merecida pausa:



A mulher abaixo é muito mais próxima do "mundo" de Sambourne: uma distinta senhora de classe média, casada, que está acompanhando seus dois filhos ao longo de uma arborizada Cromwell Road com apenas alguns veículos puxados à cavalo ao fundo. Cromwell Road era uma grande rua próspera de casas de luxo.


Na foto abaixo, a mulher está olhando diretamente para o fotógrafo e a seguir o que pode ser o retrato da mesma mulher por trás.


Mais uma mulher, esta fotografada em Earls Court Road em 1905. E ao lado outro exemplo de um grande chapéu grande, ainda um item comum na moda da época. Cavalos e ônibus estão ao fundo.


Um grupo familiar, de frente e de lado.


Uma foto de uma transeunte de costas com longas tranças terminando em laços:


Finalizando com uma jovem mulher do início do século XX a pé, confiante e olhando diretamente para o olho da câmera. Esqueça o fotógrafo. Ela está olhando para nós, aqui no futuro.


No próximo post tem mais fotos de Sambourne!
Todas as fotos aqui postadas pertencem ao Leighton House Museum. Se você quer reproduzir qualquer uma delas deve pedir autorização à eles, como eu fiz por email. O texto, parte traduzido, parte minha escrita, foi autorizado por email pelo autor do post original, em inglês, David Walker do The Library Time Machine que adorou saber que tem brasileiros interessados no assunto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOTA AOS LEITORES


Olá, tudo bem?
Fico feliz que tenha chegado até aqui! Infelizmente não consigo responder todos os leitores com devida atenção. Me perguntam sobre livros que uso nos textos estão, eles listados neste link: https://modahistorica.blogspot.com.br/p/livros.html

Alguns textos foram escritos entre 2009 e 2013, num período que eu não anotei as fontes, por isso eles não as tem. Portanto, quem me escreve cobrando as fontes destes artigos, espero que compreendam que não posso colocar uma fonte que não lembro ao certo/exatamente qual foi, indicando algo errado. MAS os livros que uso estão no já citado link - pra quem quiser ir atrás deles. Sei que professores e orientadores lhes cobram fontes e nada melhor que ler livros pra adquiri-las.


A quantidade de emails e comentários é grande e soaria repetitivo e cansativo eu responder isso a um por um dos leitores. Gostaria que essa cobrança que às vezes vem como crítica, ficasse mais amena através da compreensão, pois quando comecei o blog não sabia que se tornaria tão grande e que viraria referência no Brasil.
Agradeço a compreensão (e os elogios ao blog).
Sana ♥